Cada vez mais as pessoas optam por morar em apartamentos, seja pela praticidade ou pela segurança. Com isso, é também frequente o número de animais de estimação neste tipo de moradia. Há alguns anos atrás era comum a proibição, porém, convenhamos, os pets estão em alta (rs) e os bichinhos ganharam a liberdade que precisavam. 

Abaixo, listamos algumas dicas de como é possível ter um gato ou cachorro no seu apartamento.

Raças adequadas

Gatos se adequam mais facilmente a lugares com pouco espaço. Eles geralmente se sentirão o dono da casa, independentemente do tipo de moradia. Como eles são mais independentes e flexíveis, acharão os lugares perfeitos para se sentirem bem.

Já para os cães é preciso mais um pouco mais de atenção na hora de escolher a raça. Nem todas as raças se dão bem em apartamentos, principalmente os de grande porte. Você precisa pensar também nos vizinhos, é inevitável em apartamentos. Escolha raças que não sejam tão agitadas, não latem muito, e certifique-se que haverá no condomínio espaço para o seu pet se exercitar.

Necessidades fisiológicas

Muitas pessoas ensinam o pet a segurar a necessidade de xixi e cocô até que o dono o leve para uma volta no bairro. Porém, esta prática é pouco indicada, porque pode deixar o bichinho muito dependente do dono, além de aumentar as chances de que desenvolvam infecções na bexiga e rins, por segurarem por muito tempo. O ideal é separar um lugar reservado e ensinar desde o início que ali é o lugar correto de fazer xixi e cocô. Caixas de areia, para os gatos, e toalhas higiênicas (tipo fraudas) especiais reduzem o odor e tornam o ambiente mais agradável para todos. 

Sempre que falamos de condomínios precisamos lembrar que do bom senso. Não esqueça de levar uma sacolinha para recolher os dejetos do seu pet quando sair com ele para passear.

Exercícios físicos e convívio com outros animais

Apartamentos geralmente tem pouco espaço e os pets também precisam de convivência social e praticar exercícios. O sedentarismo leva a obesidade e pode desenvolver inúmeras doenças. Desta forma, separe sempre um momento do seu dia para levar o bichinho para passear e se exercitar. Aproveite, se possível, para que neste tempo de lazer seu cachorro tenha contato com outros animais da mesma espécie. A sociabilidade é importante!

Cuidado com o estresse

Bichinhos que vivem em apartamento tendem a ter mais crises de estresse e doenças como ansiedade e depressão. Certifique-se sempre de dar atenção suficiente e entreter seu pet periodicamente.

Local para dormir

Assim como um local específico para as necessidades, é ideal que seja estabelecido um local correto para que seu pet durma de forma adequada. Assim, você estabelece limites e também deixa o ambiente mais confortável para ele.

Qual o melhor Pet pra você
como escolher?

Geralmente, os animais de pequeno porte costumam ser mais apropriados para viver em apartamentos, já que são mais fáceis de cuidar e se adaptam mais facilmente a um ambiente reduzido. Porém, existem outros fatores que você também precisará considerar na hora de escolher seu amiguinho.

Por exemplo, que tipo de companheiro você está buscando?

Um amigo de lealdade incondicional ou um companheiro mais independente? Pense na sua personalidade e no tipo de animal que melhor poderia se adaptar a ela.

Qual grau de interação você pretende manter com seu animal de estimação? Procura um amigo que possa levar para passear, para brincar todos os dias ou prefere um animal mais tranquilo que requeira menor dedicação de tempo e esforço?

Lembre-se que alguns pets, como os peixes, não poderão interagir de forma tão direta ou ser tão comunicativos quanto outros por limitações inerentes a espécie. Além disso, lembre-se de considerar a expectativa de vida aproximada de cada espécies. Existem muitos animais de estimação de vivem muito, como as tartarugas, os cachorros, os gatos e as chinchilas. Porém, alguns pets têm uma longevidade bem menos privilegiada, como os hamsters, que costumam viver somente de 2 a 4 anos.


Leave a Reply

Your email address will not be published.